Tudo o que você deve saber sobre os tipos de vales dados aos colaboradores

12 minutos para ler

Os benefícios corporativos são fundamentais para motivar e engajar os funcionários de uma empresa. Entre eles, destacam-se os diferentes tipos de vales, aqueles vouchers pagos mensalmente para serem usados com despesas específicas do trabalhador, como transporte e alimentação.

Alguns desses vales são obrigatórios, por isso devem ser pagos pelos empregadores, ainda que possam ser descontados parcialmente da folha de pagamentos. Outros são opcionais, ou seja, iniciativa das organizações para agregar mais valor à remuneração final dos colaboradores.

Mas qual é a diferença real entre esses benefícios e como eles impactam a vida dos trabalhadores e a rotina das empresas? É o que veremos neste artigo. Continue lendo e entenda as diferenças entre os tipos de vales, quais as vantagens em oferecê-los e o que fazer para otimizar a gestão!

Quais os tipos de benefícios obrigatórios?

Benefícios são vantagens oferecidas aos colaboradores e adicionais ao salário. Basicamente, podem ser divididos em:

  • obrigatórios: são os benefícios previstos em lei que precisam ser pagos obrigatoriamente pelas empresas;
  • não obrigatórios: podem ou não ser concedidos aos funcionários, dependendo da política adotada em cada organização.

A verdade é que todo trabalhador com carteira de trabalho assinada tem direitos garantidos na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Ou seja, as empresas são obrigadas por lei a fornecê-los, devendo constar na folha de pagamento. Os principais são:

  • Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS);
  • 13º salário;
  • férias remuneradas;
  • horas extras remuneradas;
  • licença-maternidade e paternidade;
  • repouso semanal remunerado;
  • adicional de férias mínimo de um terço do salário;
  • contribuição para o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS);
  • vale-transporte.

A empresa pode sofrer sanções e penalidades, como multas e indenizações, caso não faça o pagamento desses benefícios. Por isso, é fundamental incluir tais valores no orçamento da folha de pagamento e no capital de giro da organização, assegurando esses valores aos funcionários e ficando de olho nas principais regras relacionadas, como a lei do vale-transporte.

Por que oferecer benefícios diferenciados?

Os benefícios obrigatórios são importantes para os colaboradores e precisam ser pagos pelos empregadores, até mesmo para evitar problemas legais. Porém, eles não são percebidos como um diferencial pelos profissionais, uma vez que são disponibilizados por qualquer empresa.

Já os benefícios diferenciados, ou não obrigatórios, são vistos como um acréscimo real na remuneração dos trabalhadores. Eles, de fato, agregam mais valor aos salários, sendo percebidos como vantagens concedidas pelas organizações aos seus colaboradores.

Dessa forma, os benefícios diferenciados são fundamentais para motivar e engajar os funcionários, principalmente os diferentes tipos de vales oferecidos. Na prática, contribuem bastante para a retenção de talentos, sendo um diferencial competitivo na hora da contratação.

Muitas vezes, os benefícios são até mais atraentes do que o próprio salário, uma vez que esse valor depende muito do praticado pelo mercado. Ou seja, os benefícios podem ser decisivos na hora de atrair os melhores profissionais para fazer parte de uma organização.

Além disso, os benefícios são importantes para evitar que os principais talentos deixem a empresa. Isso porque podem compensar diferenças salariais, caso um funcionário receba uma proposta de salário maior em outro lugar.

No entanto, os principais motivos para oferecer benefícios diferenciados são percebidos a médio e longo prazo, na melhoria dos resultados da companhia e na qualidade do clima organizacional. Assim, é possível notar:

  • aumento da motivação individual e coletiva;
  • mais engajamento, com sensação de pertencimento à organização;
  • ganho de produtividade, uma vez que os colaboradores se dedicam mais às entregas;
  • redução de faltas e atrasos (absenteísmo), devido a uma maior motivação para o trabalho;
  • mais bem-estar e melhor qualidade de vida;
  • redução na ocorrência de problemas de saúde e licenças médicas, que elevam os custos e reduzem a produtividade;
  • ambiente de mais colaboração entre os profissionais;
  • retenção dos maiores talentos na equipe.

Diante de tantas vantagens, cada vez mais as empresas estão investindo em benefícios diferenciados, com uma política bem-elaborada. Afinal de contas, estão percebendo que os salários já não são suficientes para garantir o comprometimento necessário para a obtenção de melhores resultados.

Quais os melhores vales diferenciados?

Existem inúmeros benefícios diferenciados, como o plano de saúde e o convênio odontológico, que podem ser proporcionados aos colaboradores. Entre eles, também podem ser concedidos diversos tipos de vales, ou seja, vouchers que serão usados em um propósito específico.

Esses benefícios são bastante interessantes por agregarem aos salários dos funcionários, desafogando o orçamento familiar de alguma maneira. Isso porque arcam com custos que sairiam do bolso das pessoas, como alimentação. A seguir, saiba um pouco mais das vantagens de cada um.

Vale-alimentação

O vale-alimentação é um valor mensal pago pelas empresas para que os colaboradores comprem alimentos e outros itens de supermercado, padaria, restaurantes e açougue, entre outros estabelecimentos. É um benefício importante por desafogar o orçamento familiar. Por isso mesmo, é importante que o valor seja correspondente ao custo dos alimentos na região.

Muitas vezes, o valor do vale-alimentação é obrigatório, definido em convenção pelos sindicatos de cada categoria profissional. Para algumas classes, o benefício também é mantido nas férias. Assim, é bom que as empresas observem essa questão.

Também é necessário definir se o vale será oferecido por meio de um cartão de benefícios ou incluído no salário do trabalhador. Nesse caso, ele não deve fazer parte do valor bruto, não sofrendo descontos de impostos e outras obrigações trabalhistas. Porém, pode haver um desconto no salário, de acordo com o pré-estabelecido em lei. As empresas ainda podem optar pela participação no Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), que concede vantagens fiscais às empresas que oferecem benefícios de alimentação.

Vale-refeição

O vale-refeição é semelhante ao vale-alimentação em relação ao pagamento (em folha ou cartão) e à inclusão no PAT. No entanto, é diferente no modo de utilização, uma vez que é empregado pelos colaboradores para consumo de alimentos, preferencialmente, no horário de trabalho.

Dessa forma, pode ser aplicado sobretudo em restaurantes, padarias e lanchonetes. Além disso, mesmo sendo pago mensalmente, o valor final é equivalente ao número de dias trabalhados. Ou seja, é estabelecida uma diária, que é multiplicada pela quantidade de dias úteis.

Vale-cultura

Um dos tipos de vales mais recentes e menos tradicionais, o vale-cultura consiste em um voucher pago aos colaboradores para a aquisição de bens e serviços culturais. O que comprar com o vale-cultura vai depender do gosto de cada um, mas podem ser livros, ingressos para cinema, teatro, apresentações musicais, entre outros. Trata-se de uma alternativa interessante para incentivar o aprendizado e o entretenimento dos funcionários, proporcionando mais qualidade de vida a eles.

Powered by Rock Convert

O valor costuma ser fornecido mensalmente em um voucher ou acrescido ao salário dos colaboradores. A empresa pode deduzi-lo em até 1% dos impostos, sendo benéfico para ambas as partes.

Vale-academia

Esse benefício tem conquistado cada vez mais empresas por trazer mais saúde e bem-estar para os funcionários, reduzindo os custos com convênios médicos e licenças. O vale-academia surgiu de um entendimento da sociedade como um todo e das vantagens de praticar atividade física e ter uma vida mais saudável. Com o tempo, as organizações têm percebido o quanto é vantajoso investir na saúde dos colaboradores.

O vale-academia pode ser pago como vouchers, que podem ser usados no pagamento parcial ou integral de mensalidades de academias, centros esportivos, estúdios de treinamento e até de crossfit. Também pode vir como convênios com essas instituições, com descontos especiais para os colaboradores de determinada organização.

Vale-combustível

Enquanto o vale-transporte é obrigatório, o vale-combustível é um benefício extra dado por algumas empresas. Ele é empregado para ajudar no pagamento do combustível gasto com deslocamento para o trabalho, sendo proporcionado aos colaboradores com carro ou moto. Pode ser concedido na forma de um cartão ou na folha de pagamento.

Vale-presente

É um tipo de vale fornecido em épocas específicas, como o fim de ano e em datas comemorativas. Costuma ser dado no aniversário dos colaboradores ou da própria empresa, por exemplo. Trata-se de um valor definido para a compra de bens diversos ou pré-estabelecidos.

O vale-presente pode ser aceito em diversos estabelecimentos ou em uma loja específica para a aquisição de produtos ou serviços. Ou seja, é uma alternativa bem-diversificada, que permite às empresas premiarem os colaboradores da forma que seja mais conveniente.

Ao contrário dos benefícios listados anteriormente, é algo pontual, que tem a função de agradar os trabalhadores. Por isso, é fundamental entender qual é o perfil dos colaboradores para saber se o presente é, de fato, interessante para eles, tendo os resultados esperados no aumento da satisfação com a empresa.

Como impactam a produtividade e o bem-estar?

Já dissemos que os benefícios diferenciados, na forma dos diversos tipos de vales, são essenciais para aumentar a produtividade e o bem-estar dos funcionários? Mas como isso acontece na prática?

Ora, cada vez mais os gestores têm percebido que o salário não é mais suficiente para engajar os profissionais. Afinal de contas, ele é visto como uma obrigação, tendo em vista a necessidade de remunerar a pessoa pelo trabalho executado. A mesma coisa pode ser dita sobre os benefícios obrigatórios exigidos na lei.

Assim, apenas os benefícios não obrigatórios apresentam um impacto real na produtividade, pois os funcionários se sentem mais valorizados pela organização. É uma demonstração de que a empresa se preocupa com o bem-estar das pessoas, proporcionando mais qualidade de vida a elas.

Por isso, a tendência é que os colaboradores se sintam mais motivados, refletindo diretamente na produtividade deles. Dessa forma, dedicam-se mais à realização das tarefas e ao comprometimento com os prazos, gerando cada vez melhores resultados.

Outro impacto nas empresas é a redução do absenteísmo. Isso porque ao terem mais saúde e bem-estar e trabalharem mais satisfeitos, naturalmente, os colaboradores faltam e se atrasam bem menos, ficando comprometidos com o cumprimento de horários e prazos.

Além disso, como já dissemos, esses benefícios são fundamentais para atrair e reter talentos na empresa, reduzindo o turnover. Esse é um dos indicadores mais importantes para o setor de RH, uma vez que a contratação e o treinamento de novos funcionários geram custos muitos altos.

Como escolher os vales diferenciados?

Como você pôde perceber, existem diversos tipos de vales e diferentes maneiras de oferecê-los aos colaboradores. Na hora de escolher, é fundamental conhecer o perfil comportamental dos profissionais para saber quais benefícios podem ser mais interessantes para eles. Afinal de contas, os vales devem ser percebidos como vantagens reais para terem os efeitos desejados na motivação.

Para tanto, pode ser feita uma pesquisa interna, que dê um panorama sobre o perfil dos colaboradores, como eles se relacionam com os benefícios da empresa e quais podem gerar mais impactos positivos.

Ainda, depois de realizada a escolha dos benefícios, é necessário verificar como eles serão disponibilizados. Enquanto em algumas empresas os colaboradores preferem o valor pago em dinheiro, em outras, há preferência pelos cartões. No caso da refeição, pode ser oferecido o vale-refeição ou refeitório no local, com um restaurante próprio da empresa, caso seja mais cômodo para todos.

O mais importante é buscar soluções que, de fato, tragam mais comodidade e facilidade para a vida dos funcionários. É bom lembrar que os benefícios devem ser úteis e aproveitados da melhor maneira possível.

Como fazer a gestão desses benefícios?

Para ter certeza de que os vales escolhidos estão tendo os resultados esperados, é fundamental realizar uma boa gestão de benefícios, a partir de políticas bem-consolidadas. É preciso ter um bom planejamento e monitorar de perto a efetividade de todos os benefícios.

Se algum benefício não estiver sendo bem aproveitado ou não estiver trazendo os efeitos desejados, é importante revê-los, buscando novas opções. Para tanto, é essencial contar com o apoio dos colaboradores, pois eles precisam perceber que as mudanças são uma melhoria, e não uma perda de direitos.

Outra opção é contar com uma empresa especializada na gestão de benefícios para garantir que os diferentes tipos de vales fornecidos sejam os melhores para a sua equipe. Vale a pena conhecer esse tipo de serviço, que pode proporcionar soluções personalizadas para o seu negócio.

Agora queremos saber a sua opinião! Quais os tipos de vales não podem faltar na sua empresa? Como acredita que eles contribuem para a motivação da equipe? Deixe seu comentário!

Assine nossa Newsletter para mais informações.

Posts relacionados

Deixe um comentário