plano de carreira plano de carreira

Saiba como criar um plano de carreira para sua empresa

7 minutos para ler

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Estabelecer uma forma de desenvolvimento profissional bem pensada permite que seus colaboradores identifiquem oportunidades de crescimento e estejam devidamente orientados a respeito de como proceder. Por esse motivo, o plano de carreira é tão significativo!

A ferramenta é aplicada em muitas empresas e direciona os colaboradores para que eles melhorem as suas habilidades e avancem em suas trajetórias profissionais. Para gerar bons resultados, é fundamental que o plano de carreira seja feito de maneira adequada. Quer saber como fazer isso? Então, continue a leitura e fique por dentro do assunto!

O que é um plano de carreira?

Plano de carreira é uma projeção utilizada por empresas de variados portes e segmentos para traçar um caminho evolutivo para seus colaboradores. Ele deve ser feito com base no desenvolvimento profissional de cada um e nas necessidades do negócio.

Essa projeção de crescimento deve avaliar uma série de fatores para que seja feita corretamente. Alguns deles são:

  • conhecimentos e habilidades desejadas para a função;
  • experiência necessária para a função;
  • características pessoais.

Com essas informações, fica nítido para o funcionário o que ele precisa para ser promovido, tanto horizontalmente, em transferências entre áreas, quanto verticalmente, para assumir posições de liderança na hierarquia.

Por meio de um plano de carreira, a empresa pode reconhecer os colaboradores por suas entregas e metas atingidas com cargos e salários mais altos. Quanto mais responsabilidades tiver uma função, maiores serão as exigências e, consequentemente, a remuneração associada.

Quais as vantagens do plano de carreira para a empresa?

Um plano de carreira traz vantagens para todos. No caso dos colaboradores, a ferramenta é significativa para aspirações de crescimento e suporte da organização para que isso aconteça.

No contexto empresarial, tal fato se torna uma oportunidade de formar profissionais para assumir posições de comando, que são imprescindíveis para atingir o sucesso e manter os negócios prosperando. Além disso, a estratégia agrega outros benefícios, como mostraremos a seguir.

Incentiva o desenvolvimento profissional

Quando o profissional sabe o caminho que deve percorrer para alcançar novos cargos, ele se sente motivado para procurar cursos de especialização e desenvolver habilidades, como fluência em idioma estrangeiro, conhecimento em softwares específicos e demais competências.

Além disso, a empresa pode planejar treinamentos e cursos para desenvolver os trabalhadores de acordo com os interesses do negócio e qualificá-los para cargos melhores no futuro.

Melhora o clima organizacional

O clima organizacional é um fator bastante relevante dentro de uma empresa e influencia na satisfação, motivação e desempenho dos funcionários. Um clima ruim, com fofoca e competição desleal, por exemplo, pode afastar bons profissionais e aumentar a rotatividade da equipe.

Ter um programa de desenvolvimento de carreira, aliado a um plano de cargos e salários, contribui para o clima organizacional, pois, dessa forma, todos têm conhecimento sobre as regras do jogo, evitando informações incompletas e sensação de injustiça.

Reduz a rotatividade

Um alto índice de rotatividade compromete o desempenho da equipe e gera custos para o negócio. Além das despesas com demissão e admissão de pessoal, todo o investimento com treinamento termina com a saída de um profissional.

É importante que a empresa adote estratégias para reduzir a rotatividade, como a oferta de benefícios e plano de carreira. A possibilidade de crescimento demonstra valorização dos colaboradores e se torna um fator de motivação para que o trabalhador permaneça na equipe.

Melhora o employer branding

A atitude favorece a sua marca empregadora. O que isso quer dizer? Que ter um plano de carreira demonstra aos profissionais e aos demais públicos que a companhia valoriza a sua força de trabalho. Esse fato contribui para a atração de talentos e, por consequência, para o sucesso do negócio.

Como criar um plano de carreira e qual o papel do RH nesse processo?

Geralmente, a responsabilidade sobre a elaboração do plano de carreira fica com o RH ou a área de Gestão de Pessoas. Afinal, esses departamentos têm conhecimentos sobre as características do negócio, cargos, entre outros, e podem fazer uma projeção adequada de crescimento.

Um dos primeiros passos para montar o programa é ter um plano de cargos e salário bem definido — muitas empresas contam com diferentes níveis para a mesma posição, por exemplo. Assim, é possível estabelecer o caminho para a trajetória dos funcionários. Outras etapas são:

  • avaliar a estrutura da companhia;
  • definir a forma de progressão na carreira, se horizontal ou vertical;
  • estipular os critérios para promoção de cargo (metas atingidas, experiência, tempo de empresa etc.);
  • definir as etapas e tempo para o processo;
  • envolver a liderança para que apoiem e estimulem os profissionais;
  • comunicar o público interno sobre o plano de carreira.

Para que o planejamento seja eficaz, é necessário expandir a visão a respeito das formas que os colaboradores têm para evoluir. Além disso, é fundamental ouvir a opinião deles sobre o futuro na empresa e os objetivos profissionais para montar um plano alinhado. Veja, a seguir, mais algumas dicas!

Identifique pontos fortes e fracos na equipe

O plano de carreira deve preconizar as necessidades da empresa. Sendo assim, é importante identificar em quais áreas os profissionais já estão preparados para alcançar o que se espera deles e em quais há a possibilidade de se ter problemas.

Ao buscar pessoas no mercado ou trabalhar para potencializar colaboradores que já estão na organização, os planos devem incluir meios para que esses indivíduos se sintam atraídos a buscar desenvolvimento e, assim, consigam resolver as demandas.

Estabeleça metas

Um modelo baseado em metas é a alternativa mais transparente de promover e premiar funcionários em uma empresa. Quando você estabelece objetivos que são cumpridos pelas pessoas e equipes, fica mais fácil ter critérios para dizer quem são aqueles que estão aptos a assumir as funções mais altas na hierarquia.

Incentive a busca por conhecimento

Apenas os treinamentos internos não são suficientes para que os profissionais se desenvolvam de maneira ampla. Manter-se bem informado sobre o que acontece no mundo e buscar referências externas sobre a área de atuação pode ser extremamente relevante para a empresa. Então, é preciso definir formas para estimular os colaboradores a continuarem seus processos de aprendizado.

Dar bolsas de estudo integrais ou parciais em cursos de interesse da organização ou colocar barreiras de acesso exigindo, por exemplo, uma pós-graduação ou outro tipo de certificado para que alguém seja promovido é uma medida de se conseguir isso.

Faça avaliações periódicas

Além da performance medida de modo quantitativo, por meio das metas, é interessante estabelecer avaliações de desempenho qualitativas para avaliar as impressões que as pessoas têm umas das outras. Às vezes, alguém pode ser excelente no exercício de uma função, mas não ter características emocionais para ocupar um cargo de chefia, por exemplo. Essa é uma questão mais subjetiva, mas que precisa ser considerada.

Montar um plano de carreira é uma excelente estratégia para manter as pessoas motivadas e interessadas em realizar as tarefas. Contudo, vale lembrar que o programa não deve ser rígido — se houver alterações na estrutura ou nos objetivos da companhia, por exemplo, é necessário reavaliá-lo.

Gostou do conteúdo? Quer receber outras dicas para potencializar a atuação dos profissionais da sua empresa? Então, curta a página da SPVALE no Facebook e acompanhe as próximas publicações!

Posts relacionados

Deixe um comentário